segunda-feira, 1 de julho de 2013

LOUVOR NA IGREJA ou LOUVOR DA IGREJA

Escrito por Geth Teixeira Rodrigues

“...enchei-vos do Espírito, falandoentre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor, com e cânticos espirituais. (Efésios 5:18b, 19).


- A Carta de Paulo à igreja de Éfeso não pode ser esquecida em momento nenhum, por conter verdade de Deus para nós – encher-nos do seu Espírito, falando, cantando, tocando e louvando de coração.

- A restauração que Deus está promovendo em sua Igreja, é uma verdade que tem vindo à tona, porque seu Espírito Santo, que foi derramado, tem restaurado, dentre muitas áreas, a do louvor e da adoração .

- A música ocupa um lugar especial no mundo de hoje, haja vista que a sociedade, nos últimos anos, foi totalmente redirecionada por influência da música. Na verdade, a música tem sido o meio utilizado para transformar vidas, costumes e também unir povos. Com a avançadatecnologia de hoje houve uma aceleração nas transformações sociais e espirituais do mundo.

Uma observação importante: Aqui no Brasil e algumas partes do mundo, as igrejas que mais cresceram foram as que assimilaram rapidamente a cultura musical da nação com ritmo forte e rápido das músicas.

1- MÚSICA SACRA X MÚSICA PROFANA > Levíticos 10. 1-3

Não é o ritmo nem a melodia que vão definir se a música é ou não profana. Quando a procedência da música e da letra estão em Deus, não serão o ritmo, nem a melodia a base para defini-la como sacra ou espiritual.

CURIOSIDADE: Nosso estilo de música nos cultos é quase todo americano ou europeu; e às vezes nos causa estranheza quando ouvimos uma canção cristã nos nossos próprios ritmos (samba, bossa nova, pagode, sertanejo, etc...) 

- a questão não é se música agrada aos irmãos, ou se é linda a melodia e o ritmo, mas .. se Deus a recebe em louvor e adoração.

Muita coisa sacra se torna profana em nossas reuniões!!!
Se aqueles que executam instrumentos no culto a Deus não são santos, a música, por mais sacra que seja em sua origem, NÃO SERÁ ACEITA POR DEUS!
Uma guitarra, um baixo, uma batera, em teclado, uma voz...executados por pessoas consagradas e cheias do Espírito, tornarão o culto santo!
Tudo o que é natural precisa ir para a Cruz, para que surja um novo dom, algo ressurreto, do Espírito. Toda a habilidade de oratória terá primeiro que morrer na Cruz.
É não depender de seu dom natural, para realizar a obra de Deus, mas da capacitação divina que transcende em muito a natural.
Uma linda voz, bem afinada, entoando os melhores cantos de louvor à Deus poderá comover os presentes até às lágrimas, mas nem sempre comoverá o coração de Deus.
Toda a habilidade natural tem que ficar no átrio.

2- ENTENDER O ESPÍRITO DO MÚSICO

A música inspirada pelo Espírito, executada por músicos cheios do Espírito Santo , afasta os demônios. A música por mais religiosa que seja, executada por músicos de vida impura, não afasta a presença de espíritos malignos. O louvor é toque de guerra!

A- Primeiro: Submissão: O músico sempre acha que somente ele entende do assunto e não aceita a opinião dos outros, nem mesmo do pastor. – músico de espírito insubmisso.

B- Segundo, Ouvido Sensível: na maioria das vezes, o músico da geração atual gosta do som bem alto, e conclui que todos devem gostar como ele. Convenha-mos...essa é a geração do head fone (com vocação à surdez aos quarenta).

C- E terceiro,os músicos possuem o que Asaph Borba chama de “espírito de músico”. A pessoa que toca na igreja precisa orar, pedindo a Deus que o liberte do “espírito de músico”, que faz com que ele goste de ser visto e aceito. Ele perde a motivação do culto e passa a pensar em si mesmo e no que acham dele. Os trinados musicais, os exageros, e a maneira de se comunicar precisam “passar pela Cruz”.É este orgulho que dá ao músico o falso senso de que sabe tudo.

O músico e o dirigente de cultos precisam da mesma medida de consagração e preparo espiritual daquele que ministra a Palavra. O cantor ou músico não rouba a expectativa do povo, que deve ser sempre colocada em Deus.

3- PROMOVER A ALEGRIA DO POVO DE DEUS

Deus restaura uma série de verdades para a igreja. Temos que entender que o louvor, adoração e oração são partes integrantes importantes na Igreja de Cristo.

A- Deus é um Deus de Alegria!
Deus não é um ser triste e mal humorado.
Isaías 65:18, 19..É o próprio Deus quem diz: “Eu crio a alegria e o regozijo.”
Uma das festas de Israel caracterizava-se por 7 dias de danças, descanso, comidas e bebidas. Era a Festa dos Tabernáculos (Dt 16: 14,15).

Semelhantemente, a Festa do Pentecostes era uma festa de alegria, juntamente com a família, os servos, as servas, os órfãos da cidade, as viúvas, o estrangeiro e o levita. O povo judeu, portanto era um povo alegre!
A igreja deve promover encontros de muito louvor e alegria, assim como o mundo comemora os jogos de futebol, nós comemoramos nossa salvação, o Reino a que pertencemos.

O MÚSICO DEVE SER PARTICIPANTE NAS OUTRAS ATIVIDADES QUE ABENÇOAM O POVO DE DEUS!!!

Suas vidas devem inspirar a todos, e fazer o que deve ser feito. É bênção sobre benção!!

4- SOMOS MINISTROS DE UM CULTO A DEUS

A direção do culto, sempre que possível, deve ser plural. Vários irmãos se aconselham mutuamente, e um deles toma à frente, assessorado pelos demais.

CUIDADOS IMPORTANTES:

- Uma pessoa que não adora a Deus não pode levar outros a adorarem. A adoração deve fazer parte da vida de toda pessoa que tem responsabilidade congregacional, seja na direção do culto, liderança de grupos e, principalmente, na vida daquele que ministra diante do Senhor na congregação.

- O dirigente do culto deve estar bem preparado – corpo, alma e espírito. Quando ele está fisicamente cansado, o cansaço pode transparecer e afetar a congregação. Se sua alma e espírito não estiverem íntegros e retos diante do Senhor, isto afetará o louvor congregacional.

- Estar nervoso, ter discutido em casa, no trabalho, algo não está bom com ele, isto poderá deixa-lo sem condições para ministrar verdadeiramente. Não é vergonha nem desprestígio compartilhar isto com os colegas de ministério que podem ter um momento de compartilhamento e crescimento diante de Deus.

- Importante perguntar para o Espírito Santo qual a sua vontade para aquela reunião!!

- Continuar sensível e atento durante o culto, durante a reunião; para interpretar o que está acontecendo com o povo e o que Deus está proposto a fazer.

Por último.....Os músicos devem se harmonizar com o fluir da unção e adoração. Já dissemos que o músico não convertido pode tornar “profano” aquilo que deveria ser santo. Regra geral, os músicos de nossas igrejas são jovens, e é necessário que eles tenham a vida purificada. Se eles tocam seus instrumentos apenas por acompanhamento não estão desempenhando o seu papel no culto. Os músicos, quando unidos em Deus, podem dar a vibração certa na bateria, dar o toque certo na guitarra, ou até deixar de tocá-la em determinado momento. Ou todos pararem de tocar e ficar em adoração. O solo de um instrumento naquela hora pode ser imprescindível.

Quando os músicos se harmonizam com o fluir da adoração, o culto flui no mover de Deus!

E para finalizar... o culto programado na orientação do Espírito Santo é melhor que o programado por homens. Os cânticos comunicam o que estamos vivendo. A congregação que vive uma verdade, prega e canta sobre ela.
Assim, quando uma congregação entoa somente canções de exaltação ao governo de Deus, seu Reino e seu poderio, é porque está vivendo intensamente essa verdade.
Se seus cânticos forem somente de cura ou salvação, estas serão as verdades vividas por esta congregação de forma mais intensa.
-Precisamos ter nossa “música” restaurada!

Nós, Ministros de Deus, temos a responsabilidade de trazer esta mudança.

QUE DEUS LEVANTE MINISTROS CHEIOS DO ESPÍRITO, DE PODER E SABEDORIA.

Amém!!!

Geth Teixeira Rodrigues