segunda-feira, 5 de agosto de 2013

LIDER DE ADORAÇÃO ?



Escrito por  ICZ 

O que é ser líder de adoração?

Ao vasculharmos as escrituras não há registro da figura do "líder de adoração". Especificamente no novo testamento encontraremos apenas registros do que parecem ser cânticos da igreja primitiva- Fil 2, I Tim 3:16 e exortações para cantar Salmos, Hinos e Cânticos espirituais em agradecimento a Deus e para encorajamento mútuo.

Na igreja primitiva não existia uma formalização de como deveria ser a adoração ou a direção da reunião dos cristãos. Temos sim instruções sobre a essência da adoração ao invés de formulas de como realizá-la. Em Romanos capítulo 12 podemos observar a adoração como estilo de vida, e estudando a vida de grandes homens de Deus como Davi e Paulo podemos tirar grandes lições. Além disto os Salmos e o velho testamento também são fontes ricas para nosso aprendizado.

É certo que ao longo da história as formas mudam, mas a teologia básica e a ênfase na adoração bíblica devem permanecer as mesmas.

As epístolas legitimam os papéis de pastores, mestres, evangelistas, mas de que forma o líder de louvor se encaixa no padrão bíblico de ministério? Na verdade o líder de adoração deve mesclar o poder da música aos dons espirituais fundamentais para equipar e fortalecer a igreja- pastoreio, evangelismo, profecia, ensino, cura. Há também alguns paralelos entre o líder de adoração e o sacerdote do antigo testamento.

 O que faz um líder de adoração?

O líder de adoração convida o Reino de Deus a se manifestar e convida as pessoas a se submeterem a ele. Esta é a primeira mensagem do novo testamento a voz que clama no deserto- "Arrependam-se pois o reino dos céus está próximo" Mateus 3:2 Observe que Lucas capítulo 1 é marcado por dois cânticos de anúncio da chegada do reino de Deus. Se estamos debaixo da autoridade de Deus podemos ser seus embaixadores, seu reino se manifesta durante a adoração, Ele age com liberdade através dos dons que nos deu, tudo pode acontecer.

Como sacerdotes (Apocalipse 5:10) temos o papel de facilitar a aproximação das pessoas a Deus por meio da música, das letras e das orações. Josué 3: 14 a 17 é um excelente modelo disto. Abrimos o caminho para as pessoas através da arte dos cânticos, nós as lideramos como servos sacerdotes, segurando a "arca" enquanto elas prosseguem adiante em sua jornada de seguir a Deus.

O líder de adoração deve ter plena consciência de que é um guerreiro espiritual. Quando o Espírito se manifesta entre nós, nos chama para um compromisso radical. Cabe ao líder de adoração tocar a trombeta chamando a consagração, chamando as pessoas a uma submissão completa a Jesus. Embora muitas vezes lentos e melodiosos os cânticos de consagração e devoção são parte de nosso arsenal nesta guerra espiritual. Por toda a Palavra podemos ver com que veemência Satanás se opõe a adoração. Ele sabe que perdendo essa batalha perde a influência sobre o crente, seja ele um neófito ou um cristão maduro. Seja quando faraó resiste a Moisés, quando Nabucodonosor se ira contra Sadraque, Mesaque e Abdenego ou na reação de Herodes diante da notícia de um rei recém nascido (Mateus 2:1-17), Satanás estava se opondo a adoração. Os líderes de adoração de nossa era estão no centro da mesma luta por poder, levantando o estandarte da santidade.

Outro ponto dentro desta batalha espiritual é vigiarmos para que não haja em nós desejo por poder. Ser conhecido pelos homens não nos traz nenhum prestígio no mundo espiritual. Andar em humildade, honrando e preferindo aos outros, abdicando o poder é a lição dada a nós em Filipenses 2: 6 a 11. O princípio da autoridade espiritual é a obediência a Deus e a humildade para com o corpo de Cristo.

Embora a profissão de musicoterapeuta não seja regulamentada em nosso país existem estudos e pesquisas da ação benéfica da música sobre doentes de todo o tipo, e mesmo o curso a nível superior já é reconhecido pelo MEC. Deus criou a música e um de seus propósitos era usá-la como agente de cura para o corpo e para a alma. Durante a adoração a música age como facilitadora e a cura se dá de duas formas: ou pela fé gerada através das palavras cantadas ou pela simples manifestação de sua presença em meio aos louvores.

No velho testamento é comum vermos a ligação entre música e profecia (I Samuel 10:10, I Crônicas 25:1) e novo testamento vemos que a profecia é uma atividade para todo o corpo de Cristo (I Coríntios 14:5). Deus conhece a necessidade de cada pessoa dentro de uma reunião e frequentemente pode trazer uma mensagem específica de encorajamento profético por meio de um cântico, uma leitura bíblica ou oração. Nossos cânticos são dirigidos verticalmente, mas existe uma mensagem horizontal que penetra no coração das pessoas. A profecia não é uma simples transferência de informação mas é Hebreus 4 :12. Deus pode usar qualquer forma musical como veículo profético, um cântico congregacional, um solo, um cântico espontâneo. Como lideres de adoração temos que nos arriscar gradativamente no terreno da profecia estando sempre atentos a voz do Espírito.

Outra atividade desenvolvida pelo líder de adoração é a de professor. 80% dos sermões são esquecidos no período de três dias, mas as pessoas se lembram dos cânticos. Grudamos a palavra de Deus nas mentes pelo poder da música, ótimas melodias, ritmos e rimas. Certifique-se em dar ensinamento sólido a sua igreja pelos cânticos que você escolhe. E Devemos proclamar as verdades sobre a identidade de Deus e de nossa própria identidade em Cristo- filhos, nova criatura, santos, servos. Fica óbvia a urgência em sermos mestres na Palavra de Deus – Salmo 119.
Ainda na área de ensino é nosso papel contar e celebrar o nascimento, vida sacrifício e triunfo de Cristo. A centralidade de Cristo era fato na adoração primitiva e será assim na igreja do Apocalipse. Veja capítulo 5 e 7. Enquanto recordamos a vinda de Cristo ao mundo nossa própria vida passa a fazer sentido. Na adoração vemos a nós mesmos no decorrer do tempo, pois estamos entre a primeira e a segunda vinda de Cristo. Mais uma vez destacamos o princípio de que ao sabermos quem Ele é, sabemos quem somos.

O ministério evangelístico também cai muito bem ao líder de adoração e sua equipe. Quando um descrente com fome de Deus vê um grupo não cantando para o teto mas se comunicando com Deus uma luz começa a brilhar. A música de adoração penetra pelas janelas da alma amolecendo os corações e preparando as portas do arrependimento.

Finalmente o líder de adoração deve ter coração de pastor, amando e se importando com as pessoas dentro e fora do período de culto. Sem um coração que se doa não há intercessão, não há compromisso de profecia, não há preocupação com o ensino e edificação da igreja. O coração de pastor exerce o dom mais precioso de todos o amor. Como adoradores devemos nos apropriar de nos aperfeiçoar no amor do Pai.

Mirella Antunes Cavalcante
Adaptado do livro- "Em espírito e em verdade"- Andy Park