segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

O QUE FAÇO É RESULTADO DO QUE SOU

P

Por Christie Tristão

Tenho realizado um trabalho com músicos e ministros de louvor das igrejas há mais de cinco anos. Ao longo deste tempo tenho detectado algumas questões comuns entre todos, as quais tem sido a raiz de muitos problemas enfrentados pelas equipes de louvor das igrejas.
Muitas equipes são formadas rapidamente sem critério algum pela carência de músicos nas igrejas, e por outro lado equipes imensas são formadas por causa da grande quantidade de músicos e a necessidade de encaixar todos para dar oportunidade a todos.
Tanto um caso quanto o outro acima citado, geram grandes problemas porque ao longo do tempo as pessoas ficam perdidas no cumprimento do seu chamado", e isso gera muita frustração e desajustes no funcionamento da engrenagem do corpo de Cristo.
Talvez você se identifique com o que foi colocado acima e por isto eu gostaria de convidá-lo (a) a continuar a nossa conversa colocando algumas perguntas para você pensar a respeito delas:
Quais são as minhas habilidades e dons?
Qual é o meu povo? (ou seja, quais são as pessoas pelas quais o meu coração bate mais forte. Ex: família, grupo de amigos, a igreja do Senhor, órfãos, povo de uma nação específica, crianças em geral e etc.)
Como utilizar as minhas habilidades e dons para servir o meu povo?
"O QUE EU FAÇO É O RESULTADO DO QUE EU SOU."
Se você tiver resposta apenas para estas três perguntas, você já está num ponto de partida para sua caminhada.
Como ministros de louvor, precisamos entender qual é a nossa função. Muito tem confundido o verdadeiro significado de ministério: SERVIÇO com SERVISTO". Quantas pessoas têm utilizado a plataforma para uma realização pessoal ou até mesmo como uma vitrine". Quantas vezes nós vemos as pessoas desistindo de um chamado porque não tem sido reconhecidas ou aclamadas pelos outros, ou porque receberam uma crítica, ou porque não tem oportunidade para exercer o ministério. Isto retrata bem o nível de espiritualidade das equipes de louvor da igreja.
A nossa função como ministros de louvor é a de sermos facilitadores e servos para a igreja. Deus nos deu a música como ferramenta poderosa para alcançar as pessoas. Devemos utilizá-la para o cumprimento deste serviço, inspirando a igreja para louvar e adorar ao Senhor. Como músicos, corremos o risco de fazer da música um FIM EM SI MESMO. Nunca devemos nos esquecer que a música é apenas uma ferramenta que deve ser utilizada para conduzir os corações à conversão de vidas ao Senhor. E por ser uma ferramenta devemos saber muito bem como manejá-la.
Fazemos o que fazemos porque o Senhor nos chama, capacita e ELE abre as portas e oportunidades para aqueles a quem chama. A palavra de Deus nos diz que as portas que o Senhor abre ninguém fecha (Ap 3:7, 8) Precisamos estar focados no Senhor e caminhar dentro do que diz a Sua palavra. Muitas vezes a causa das nossas maiores frustrações é em conseqüência de foco errado, quando colocamos os nossos olhos nos homens e depositamos a nossa esperança nos mesmos nos frustramos. Os grandes pensamentos e sonhos a nosso respeito pertence ao Senhor e somente a Ele (Is 55:8, 9).
Se dispusermos tudo o que somos e temos para o serviço da casa do Senhor, tendo como motivação o amor à Deus e ao próximo, iremos provar com certeza da vontade do Senhor para as nossas vidas. E então portas serão abertas, Ele mesmo nos capacitará para a realizarão do Seu chamado em nós.
"E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela
renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa,
agradável e perfeita vontade de Deus." Rm 12:2
Que o Senhor os abençoe.