quinta-feira, 23 de maio de 2013

OS PRINCÍPIOS QUE DAVI USOU PARA EDIFICAR UM MINISTÉRIO MUSICAL - parte 5


Por Daniel de Souza - Parte 05

Quem se opõe à autoridade resiste ao próprio Deus (2). É mais sério do que pensamos.

Com um mínimo de sinceridade meus colegas músicos vão concordar que este é um dos nossos maiores desafios. Viver, andar e ministrar debaixo de autoridade é algo muito sério. O texto diz que todos eles estavam sob a direção de seus pais. Geralmente o músico não aprecia a direção de outra pessoa. O que vemos ao longo dos anos que estamos envolvidos com música, é que os músicos, forçosamente se submetem e respeitam outros músicos, superiores a eles tecnicamente. Mas o que estamos abordando aqui é algo muito diferente e sério.

Nós já falamos que este serviço de música é diferente, pois é para a glória de Deus. E foi o próprio Deus quem estabeleceu o princípio da autoridade. A palavra de Deus não deixa dúvida alguma quando ordena que todo homem se sujeite às autoridades (Rm.13.1,2). Quem se opõe à autoridade resiste ao próprio Deus (2). É mais sério do que pensamos. Não é necessária muita coisa para que os músicos se sintam “senhores” de si mesmos.

Muitos músicos fazem o que querem, vão onde querem, e ninguém deve interferir em sua “carreira”. A carreira de alguém que não está sujeita a autoridade tem a morte como fim. CUIDADO! Deus pôs a autoridade como proteção para o homem de uma forma geral. Deus ordena que os filhos se submetam aos pais (Ef.6.1-3); Deus ordena que as esposas se sujeitem aos seus maridos (Ef.5.22-24); Deus ordena que os servos se sujeitem aos seus senhores (Ef.6.5-8); Deus ordena que os cristãos se submetam a seus pastores (Hb.13.17); até as autoridades na sociedade são ministros de Deus e devemos nos submeter a elas (1Pe.2.13-17).
Infelizmente um pouquinho de “evidencia” basta para que os músicos cristãos cometam um dos maiores erros que podem cometer: sair debaixo do “guarda-chuva” da autoridade. Alguns dizem: “agora vou desenvolver MEU ministério”. Temos que ser honestos e reconhecer que o que queremos é não mais termos alguém interferindo em nossa vida e não mais termos que prestar contas a alguém. Achamos que cresceremos mais se andarmos por conta própria. Achamos que iremos mais longe se andarmos sozinhos.

De novo soa em nossos ouvidos a música do Asaph, que diz: “quem anda sozinho pode ir mais rápido, mas nem sempre vai mais longe”. Ela pode ser aplicada também à questão da autoridade espiritual. Depois que o homem resolveu assumir o controle de si mesmo, rejeitando o governo de Deus, ele vive em profunda crise neste assunto de autoridade. Mas creio que o Espírito Santo nos ajudará a compreender a importância deste assunto.

Querido músico, corra o mais rápido possível para debaixo do “guarda-chuva” da autoridade. Se arrependa, converse com teus líderes e teus pastores. Se humilhe. Busque ajuda e conselho. Saia da independência. Deus te abençoará grandemente.

Estar debaixo de autoridade é ficar protegido!