quarta-feira, 22 de maio de 2013

OS PRINCÍPIOS QUE DAVI USOU PARA EDIFICAR UM MINISTÉRIO MUSICAL - Parte 4



Por Daniel de Souza - parte 4

Quando um ministério de música não é profético, ele não passa de um entretenimento para a igreja.

4. Um serviço musical com finalidade profética

(1,3) O texto diz que eles foram separados para o ministério, com a finalidade de profetizar com seus instrumentos. A musicalidade daquelas pessoas e seus instrumentos não eram o fim e, sim, um meio, um veículo para a profecia. O que significa profecia? Profecia é a mensagem de Deus anunciada por meio de um profeta (dic. Almeida). Vemos a confirmação desta definição de profecia no chamado de Jeremias. Deus lhe disse que ele deveria ir onde o Senhor lhe enviasse e deveria falar tudo o que o Senhor mandasse.

Todo ministério de músico desprovido destes princípios absolutos não tem valor diante de Deus. Sem estas coisas não passaremos de músicos que fazem música simplesmente. Somos músicos ou profetas? Temos algo mais que música para oferecer? Temos algum recado de Deus ou somente uma boa performance? Não vamos entrar muito em detalhes mas vale a pena ressaltar as características que confirmam um verdadeiro profeta, segundo o chamado de Jeremias: .o verdadeiro profeta é escolhido e constituído por Deus (Jr.1.4,5); .o verdadeiro profeta está a serviço de Deus e totalmente submisso a Ele (Jr.1.7) .o verdadeiro profeta é genuinamente inspirado pelo Senhor (Jr.1.9) .o verdadeiro profeta realiza uma obra completa e eficaz, destruindo o que deve ser destruído e reconstruindo posteriormente, segundo a vontade do Senhor (Jr.1.10).

Até aqui já deu pra ver que é um trabalho muito sério. Quando um ministério de música não é profético, ele não passa de um entretenimento para a igreja. E ainda algo mais sério acontece, quando não há profecia, o povo se corrompe (Pv.28.19). É por esta razão que ao invés da igreja caminhar para a santificação, parece que ela está no sentido contrário. Muitas vezes ao invés de vermos pessoas libertas, vemos fortalezas e corrupção nos irmãos. Isto pode ser uma prova da ineficácia do ministério profético. Este assunto é muito vasto e não dá para abordarmos de forma mais ampla aqui. No entanto, uma última observação deve ser feita a partir da questão: qual é uma das maiores características de um falso profeta? 

Pois bem, um falso profeta, é óbvio, não traz a genuína palavra de Deus ou a manipula. E uma das formas que o falso profeta utiliza para levar adiante seus maus desígnios é LEVAR A MENSAGEM QUE O POVO QUER OUVIR E NÃO O QUE O POVO PRECISA OUVIR. Foi assim com rei Acabe (1Re.22.1-25).

Muitas vezes a igreja encomenda a profecia, como o mensageiro que foi chamar a Micaias (v.13). Muitas pessoas no meio da igreja acreditam que se a maioria está profetizando coisas boas para o “rei”, esta deve ser a regra para todos os demais profetas. A encomenda do mensageiro e a imponente presença do rei ainda chegaram a constranger Micaias (15). Mas enfim ele cumpriu o que era absoluto e inegociável para seu ministério: FALAR SOMENTE O QUE DEUS MANDA (14,16,17) Os falsos profetas foram o fim para a vida e o reinado de Acabe. Ministérios assim representam um grande perigo para a igreja. Que o Senhor levante músicos verdadeiramente proféticos nestes últimos dias. Músicos que profetizem a PALAVRA DE DEUS. Músicos cheios das escrituras (Jo.5.39); cheios da BÍBLIA (Cl.3.16).

Esta é a verdadeira profecia.